Curta e compartilhe!

Ela jamais havia amado alguém de verdade, sua vida inteira idolatrou o casamento, a família, os filhos, a casa, o cachorro…tudo perfeito.

A grana, a conta, as jóias, as alianças, o emprego, as viagens, tudo, menos o mais importante, o AMOR.

Um dia, encontrou este moço…na verdade um nome, ali azulzinho escrito na página do orkut. Curiosa, foi ver.

Perfil interessante, bem escrito, bonito, emocional, fotos…parecidas com as dela, mesmo estilo. Não foi a beleza que a interessou e sim a impressão muito forte de que tinha achado neste mundo perdido alguém muito parecido com ela.

O resto da história…o encontramos, o interesse, muitas conversas, trocas de experiências, tudo num ritmo frenético, rápido, lindo. Porém proibido!

Como duas pessoas tão parecidas podem ser tão diferentes ao mesmo tempo?

Um homem que já passou por momentos de vida alternativa, vida de promiscuidade se torna através das crenças que ele nunca desacreditou uma pessoa completamente diferente aos olhos desta moça em uma semana? Ela que achou que já o conhecia tão bem? O que aconteceu? Será que ele havia guardado todos aqueles ideais, regras e planos para a mulher da sua vida?

Da onde surgiu tanta repulsa por suas roupas, suas cores? Ela se questionava.

Muitas vezes ela pensou em desistir, porque sempre se sentiu, como gosta de dizer, um cavalo selvagem, marrom de rabo comprido, sedoso e brilhante e focinho molhado, que corre pelos campos sem sela ou limites de velocidade.

Suas grandes paixões? Sua família, suas amigas, sua independência, suas roupas, que a duras penas paga no final do mês no cartão de credito.

E de repente todas estas paixões foram questionadas.

Não! Ela pensou. Eu não preciso disto!
E quis fugir, quis escapar, saiu, tentou desatar o nó que ela mesma deu no coração deste moço…e se viu sem poder respirar, sentiu que perderia sua chance de ser uma pessoa melhor. De que o momento era de fato o momento de construir o que ela sempre sonhou. A família, o amor. Talvez o dinheiro, a casa, as jóias, as viagens, tudo isto ela teria que abdicar. Não porque ela queria, mas porque pensava que o que ela achou era mais forte do que tudo isto.

Seu coração que antes doía sem motivo, de solidão talvez…hoje dorme entrelaçado em braços fortes, tatuados, branquinhos e que passam uma energia de um homem de caráter, fiel, lindo de corpo e alma.

O homem que a pediu em casamento na segunda vez que se viram. E a oficializou mil vezes em lindas palavras de amor…que espera a roda da fortuna mudar para ir em frente e partir para a tradição. Esperar o momento certo para pedir a mão da moça em casamento para o pai dela. Mas não há pressa. Eles sabem!

Já este homem, que escolheu esta mulher que teima em ser menina, sabe bem dos seus sonhos, sua ideologia. Pensa que acima de tudo é o salvador! Mas só há salvação para aqueles que querem ser salvos!

Ele, escritor, que a vida teima em passar a perna, e deixá-lo condicionado a temer a luz que antes era seu alimento, hoje ela o agride. Mas ele resiste, com poucas forças, pouca determinação, mas resiste.

Seus sonhos se assemelham muito com os dela, ambos querem esta família, eles desejam construir um lar onde as prioridades sejam éticas, religiosas e acima de tudo de amor. Talvez não exatamente o que eles tiveram na vossa criação.

Livros, estudo, novidades pop culturais engolem este homem, com um ar de largado, no estilo indie cool, um viciado em ver a podridão do mundo e relatá-la em seus textos para ter certeza que não mais participa ou sente-se tentado por ela.

Submundo, memoirs, cult movies, tudo que um dia já lhe deu prazer, hoje lhe proporciona a sensação de asco e vitória. Ele saiu vitorioso da briga travada com a vida que quis lhe puxar para o dark room. Ele venceu!

Para ele sua família é também de suma importância, e agora a preocupação aumentou com as lágrimas da moça que escolheu para ser sua.
Em evitá-las, em entendê-las e em fazê-las parar.

O ombro dele se tornou o lugar onde ela as enxuga, é lá que ela se conforta quando ele a faz enxergar o que há de errado nela, nesta vida, nos maus trejeitos e decisões erradas. Ou quando ele expõe a grande mulher que ele ama e admira, e que ela não consegue enxergar.
Ele não…ele não chora! Não pelas palavras lançadas no ar por ela, quase sempre em tons ríspidos de mandamentos, muitas vezes beirando tons mais altos e extremamente inadequados, ele os guarda na cabeça. E questiona tudo cinco minutos depois, quando a poeira abaixa. Boa decisão!

É aí, neste momento que ambos com lágrimas nos olhos conversam…discutem, sempre, quase todos os dias, amém, mas assim se acertam. Ela enxerga, ele aceita as desculpas, mesmo sabendo que ela esta cedendo além das vontades. E ambos no fundo sabem que por mais que sintam aquilo não vai muito além…há muitas divergências. O que os decepciona. Mas os faz mais fortes, sem que eles saibam.

Todo dia ela tenta se transformar numa mulher mais parecida com a que ele quer para ser sua e zomba de si mesma. Pois fica mais distante do que ela é realmente. Do que gosta de ser.

E quando sua mente a questiona se ele também fará o que ela tanto lhe pede. Ela duvida.

O que ela quer? É que ele se cure, que ao menos vá atrás da cura, trazer forças, que ele tem! Ela teme! Não confia.

Será que ela trará o presente mais precioso de todos? Trará de volta o homem sadio, de corpo e mente, para desenvolver o talento tão admirável. Ela reza!

Que logo ele irá aparecer com um emprego bacana que ELE ame e faça que ela se orgulhe, mas que acima de tudo traga estabilidade mental para ambos.

O amor dura e perdura, mas não resiste a tudo para sempre. Às vezes ele é forte para vencer as guerras travadas contra dinheiro, crenças, preconceito, ciúmes, TPMs, falta de emprego, paciência, excesso de bagunça e de bobagens. Outras vezes não.

Que o amor seja lindo, que seja abençoado, que não seja comprado. E que a lição seja que nem toda história de amor verdadeiro tenha um final feliz!

Que suas próximas madrugadas sejam tão longas e o tempo sempre voe, as dele com seus estudos e as dela com seus sonhos, porque então teremos certeza que ambos estão bem.

Se tudo der certo, ou tudo der errado. Todos nascem para amar e para sermos amados. E esta é a lei de D´s.

Por mim eu jamais desistirei! Do amor jamais! De você…já foi. Que fiquem as memórias, as altas risadas e boas conversas.

(Visitado 248 vezes, 1 visitas hoje)