Curta e compartilhe!

Você já passa mais tempo na casa do(a) seu(sua) parceiro(a) do que na sua? Já tem a chave e entra quando quer? Ele(a) mora sozinho(a)? Você conhece melhor o que está faltando na geladeira do que ele(a)? Suas roupas sujas são lavadas na casa dele(a)? Então é hora de morarem juntos por completo, certo? Bom, antes de responder essa pergunta, analise os pontos abaixo e veja se realmente é esse o passo que deve dar!Analise bem o motivo principal: por que vocês estão tomando essa decisão? É para guardar dinheiro já que vão dividir as contas? Por que acredita que isso vai te aproximar de algo mais sério? Se respondeu sim para algumas delas, pense muito bem antes de colocar suas roupas na mala. São razões tentadoras, mas não podem ser o motivo principal. Apenas mude porque acredita no amor entre vocês e no relacionamento maduro e duradouro que construíram.

Entenda o papel de cada um antes: apenas pensar em morar juntos pelo lado delicioso é fácil. Acordar juntos, ter sexo sempre que possível, verem novela no sofá… Mas e o lado complicado? Foi discutido? Quem vai pagar cada conta? Como será a divisão de tarefas? E o supermercado? Onde vão morar? Você se sentirá confortável em morar em uma casa que não é sua ou prefere esperar um pouco mais para construir o canto de vocês juntos? Apesar de não ser muito romântico discutir esses detalhes é essencial para que a mudança realmente funcione!

As manias não mudam: cada um de nós possui manias muito particulares que às vezes incomodam o outro. Não pense que essas manias vão acabar ou diminuir apenas porque estão juntos. Portanto, se você sabe que seu namorado joga a roupa no chão antes de dormir, que sua namorada tem vários pares de sapato e vai ocupar seu armário, que o outro gosta de dormir com a janela aberta para acordar com o sol, entre outras coisas, pense se está preparada(o) e aceita bem tudo isso antes de morarem juntos. Não deixe que atitudes já conhecidas se transformem em motivo de brigas futuras.

Sem rota de fuga: essa é uma das maiores mudanças na sua vida. Não vai mais existir aquele cantinho da casa que você se esconde depois de uma briga para refletir e pensar no que está acontecendo com vocês. O espaço será dos dois e a única maneira de ficar sozinha(o) será saindo de casa. Além disso, os dois terão que aprender a receber os amigos do outro e permitir que cada um continue fazendo o que sempre gostou. Aprender dar espaço, mesmo dividindo o mesmo teto é difícil, mas essencial para que um relacionamento obtenha sucesso!

Sua família e a do outro: apesar de vivermos em um mundo moderno e intenso, muitas famílias têm muita dificuldade em aceitar a convivência “em pecado”, ou seja, dividir o mesmo teto sem uma troca de alianças. Normalmente, a família da mulher é mais reativa a isso, principalmente se tiver uma base católica. Portanto, a conversa é o melhor caminho. Explique seus planos, sua maneira de ver a vida e o que te faria feliz. Mostre que começar com um “test drive” não significa que seu pai não vai te levar ao altar, ou que sua namorada é uma mulher vulgar. Alinhem com suas famílias, apóiem um ao outro, principalmente, o lado mais sensível. Não deixe de realizar seus sonhos, mas comunique honestamente suas intenções, não mude de casa de um dia para o outro, como uma atitude inesperada para sua família. Prepare o terreno.

Aprenda, respeite e aproveite: você não sabia que seu namorado assiste aos programas de comédia sem graça? Ou sua namorada possui hábitos diferentes de café da manha? Enfim, transforme qualquer novidade em motivo para crescimento da relação. Sempre vai surgir algo que não esperava, que vai te surpreender, e esse é o encanto de se envolver. Esteja preparada(o) para surpresas. Aprenda com as diferenças, respeite o modo de ser do outro e aproveite para mudar alguns hábitos seus, se for sua vontade.

Mantendo a privacidade juntos: apesar de toda a intimidade que já construíram, cada um de vocês possui intimidades e costumes que não foram totalmente demonstrados. Ele possui uma coleção pornô e ela pendura calcinhas lavadas no boxe… Certos detalhes da vida ficarão expostos e os dois devem aceitar e respeitar isso. Não é porque vão dividir o mesmo teto que podem invadir a privacidade um do outro. Nada de olhar os e-mails ou mexer no celular.

E então, está mesmo preparada(o)?

(Visitado 216 vezes, 1 visitas hoje)

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0