Curta e compartilhe!

Perdoem-me se estou sendo simplista demais, mas após dois casamentos bem sucedidos, creio que adquiri uma maneira bastante peculiar de enxergar a mulher dentro de um relacionamento estável.

Talvez você possa estranhar o fato de eu estar dizendo que meus dois casamentos foram bem sucedidos, pois, logicamente falando, se o primeiro fosse bem sucedido, não haveria a necessidade de existir um segundo.

Contudo, e aproveitando o ensejo que a lógica não é muito “humana” quando falamos de sentimentos, sou levado a acreditar que um casamento bem sucedido é aquele que começou com uma paixão, teve uma convivência agradável durante a sua duração, trouxe momentos inesquecíveis e terminou sem mágoas.

De acordo com a minha experiência, uma mulher casada deve representar simultaneamente os seguintes papéis:

O papel de Mulher: ou seja, como ela está inserida na sociedade e como essa sociedade a vê. Aqui entra o trabalho que ela exerce, as suas amizades, o convívio social, enfim as atividades que todo mundo pode admirar.

O papel de Amiga: aqui ela estará representando aquela pessoa que está sempre disposta a ouvir, a compreender sem fazer julgamentos, a aceitar os erros do conjuge e a incentivá-lo a seguir em frente.

O papel de Companheira: entendo que esse papel está ligado mais aos ideais pelo qual o casal luta. Uma companheira de verdade é aquela que não apenas apoia as nossas ideias, como as aprimora e nos convence também a lutar pelas suas.

O papel de Amante: e aqui não me refiro apenas à vida sexual do casal, mas a exercer o amor em toda a sua plenitude, a continuar a despertar a paixão, a fazer da intimidade do casal uma fonte de energia para ambos.

O papel de Mãe: esse papel, talvez o mais complexo de todos, abrange as duas Mães. A nossa mãe, aquela que cuida de nós como ninguém quando nos sentimos fragilizados, e a mãe de nossos filhos.

Esses cinco papéis, se respeitados, não fazem uma mulher perfeita, porque a perfeição também não é muito humana. Mas creio que, para uma mulher que saiba cuidar desses cinco aspectos com competência, não vão faltar propostas de casamento.

E quais os papéis do marido? Você poderia me perguntar.

Creio que esses mesmos cinco e acrescentaria mais um: o papel de Monge, para conseguir manter a calma quando ela estiver na TPM.

(Visitado 2.608 vezes, 1 visitas hoje)