Curta e compartilhe!

Sim, mulheres têm mais necessidade de discutir o relacionamento do que os homens. Por isso, homens leiam com atenção esse texto e sejam bons ouvintes. Mulheres, leiam para saber como e quando falar com eles.É essencial ter a liberdade de conversar sobre qualquer assunto: interessantes, delicados, que nos incomode, dúvidas, anseios, medos, conquistas, sonhos.

Muitas pessoas têm medo de falar, por achar que podem ser mal interpretadas e que uma conversa pode se transformar em uma briga. Lembre-se sempre que o grande causador de brigas não é o QUE se fala, mas COMO se fala.

Existem alguns assuntos que sempre trazem discussões nos relacionamentos e já se tornaram piadas em mesa de bar:

  • “Por que homens e mulheres pensam de maneira distinta?”
  • “Por que as mulheres esperam reações dos seus companheiros?”
  • “Por que os homens odeiam serem cobrados por atitudes?”

Comunicação é um dos principais problemas de qualquer relacionamento. Saber ouvir as necessidades do outro e a maneira de ser, pensar e agir acaba gerando conflitos, quando na verdade deveriam ser discussões pacíficas que ajudassem o relacionamento crescer e os dois a amadurecer.

Já sabemos que uma boa comunicação é um dos principais pontos para se garantir um relacionamento saudável. E mesmo sabendo disso, seu relacionamento anda enfrentando muitas discussões? Então veja se descobre abaixo em qual ou quais situações você se encaixa e tente reduzir essas discussões:

  1. Diferentes línguas e culturas: aqui apenas se enquadraram pessoas que estão em um relacionamento com alguém de outro país ou criado de acordo com outras culturas. Possuir a língua mãe distinta e serem culturalmente distintos pode causar muitos desentendimentos. Por isso, vale a pena perder um tempo explicando para seu(sua) parceiro(a) como falar de maneira mais amorosa ou menos grosseira. Além disso, com os encontros web, tornou-se mais comum conhecer pessoas de outra nacionalidade. Por isso, esqueça tudo que aprendeu sobre o sexo oposto no Brasil. Saiba que será impossível deduzir seus sentimentos e reações, principalmente se você estiver falando de europeus versus latinos. Eles são muito mais frios que a gente, mas os sentimentos existem, apenas são demonstrados de outra forma. Antes de se magoar, tente entender o que uma atitude ou frase significa para o outro.
  2. Características falsas: podem trazer grandes discussões quando seu(sua) parceiro(a) descobre que o que você disse sobre você não é verdade. Por isso, honestidade é tão importante desde o início. Não tente ser alguém diferente ou omitir certas características particulares.
  3. Alinhamento de expectativas: esse é um dos pontos mais importantes e todo casal deve levar em conta a importância de alinhar expectativas. Mas o que significa isso? Não adianta esperar um pedido de casamento se seu namorado só pensa nisso daqui 5 anos; ou você acha que ele deve responder a uma atitude sua de uma maneira, mas ele faz diferente, então vale a pena conversar e entender se você será feliz dessa maneira, e se vocês possuem expectativas similares sobre o relacionamento.
  4. O passado: tem coisa mais incômoda do que escutar “fulano não agia assim comigo, era mais carinhoso”, “Ciclana era muito mais compreensiva e me aceitava do jeito que sou”. Não compare seu(sua) parceiro(a) atual com experiências passadas. Cada pessoa na nossa vida é única e de uma maneira singular possui características melhores ou piores. O que você tem que ter em mente é: o conjunto dessas características me completa e me faz uma pessoa feliz?
  5. Egocentrismo: Cuidado! Não tente manter uma boa comunicação com alguém que você considera inferior a você. Na verdade, não queira nem construir um relacionamento. A falta de respeito pelo outro nunca vai permitir uma comunicação de maneira educada, ser um(a) bom(boa) ouvinte e aceitar o que está escutando.
  6. Outros: não deixe que outros interfiram na maneira como você age com seu(sua) parceiro(a). Muitas pessoas acabam prejudicando um relacionamento dando conselhos que consideram ideais, esquecendo que o que é bom para elas pode não ser adequado para a sua relação. Outro ponto muito importante: não discuta na frente de outros. Não deixe seu(sua) companheiro(a) ficar sem graça e envergonhado. Não exponha fraquezas e problemas em locais que tenha mais do que vocês dois. Isso é uma prova de respeito.

Descobriu os motivos que mais fazem vocês discutirem ao invés de se comunicarem?

Agora você lerá algumas maneiras de melhorar a comunicação com seu(sua) parceiro(a):

  1. Espaço: dê um tempo para que possam pensar sobre o assunto. Não discutam de cabeça quente e sem pensar. Muitas vezes falamos mais do que devemos e do que queremos, simplesmente por estar muito irritado(a). Quando o assunto for delicado espere o momento ideal. Se está sentindo que os ânimos vão explodir, respire fundo, caminhe, pense em outras coisas antes de entrar em contato com seu(sua) parceiro(a).
  2. Não pegue pesado demais: seu relacionamento é como uma peça de vidro, se quebrar você até cola os pedaços, mas nunca mais será inteiro. Por isso cuidado, com o que e como fala.
  3. Discuta o presente: problemas novos, situações diferentes surgem sempre no relacionamento. Por isso, viva o presente. Não traga para as conversas assuntos do passado que já deveriam ter sido encerrados.
  4. Cada um pensa de uma maneira: lembre-se disso! Tente entender como pensa seu(sua) parceiro(a) na hora da conversa.
  5. Busquem juntos a solução: nenhum dos dois deve impor a solução para um assunto discutido. Juntos devem chegar em um acordo que satisfaça os dois. Com certeza os dois lados terão que ceder um pouco, o que é normal, comum e muito saudável.
  6. Não guarde assuntos que te desagradam: com o passar do tempo, coisas pequenas podem ser a gota d’água necessária para transbordar um copo de rancores grandes que foram sendo guardados com o tempo. Traga todos os assuntos para o relacionamento e resolvam juntos.
  7. Escolha o momento certo: nada pior do que chegar cansado(a) do trabalho, mal entrar em casa e sua(seu) namorada(o) começar a falar de um assunto desagradável. Por isso, é muito importante escolher o momento adequado para ter uma conversa delicada. Obs: pessoas que tenham bebido demais não estão em condições de conversar, por isso espere o dia seguinte.
  8. Assuma a culpa: se seu(sua) parceiro(a) perceber que você é capaz de reconhecer um erro, estará mais propenso(a) a acreditar em você.
  9. Não brigue na frente da família ou amigos: nada pior do que deixar terceiros se envolverem e darem opiniões em uma briga. Por isso, estando com mais gente e tendo algo para falar, espere para quando estiverem sozinhos.
  10. Não converse se estiver emocionalmente abalado(a) sobre o assunto: Coisas faladas com muita emoção são capazes de ferir profundamente seu(sua) parceiro(a). Pare por um ou dois dias, analise com calma e cabeça fria antes de trazer o assunto a tona. Tenha respostas para questionamentos e entenda porque algo te deixou tão mal.
  11. Seja um(a) bom(boa) ouvinte: esteja presente quando seu(sua) parceiro(a) quiser falar, esvazie todos os pensamentos da sua cabeça e esteja de corpo e alma presente para ouvi-lo(a); estabeleça contato visual com sua(seu) parceira(o), mostrando que está interessado(a) e ouvindo tudo que ela(e) tem para dizer; perceba o que realmente está afligindo sua(seu) namorada(o).

Comunicação silenciosa: aproveite alguns momentos para expressarem o que sentem através de olhares, de gestos, observando um ao outro e o que suas expressões podem dizer. Às vezes, isso pode ter resultados melhores que uma boa discussão.
DICA: quanto mais tempo passarem juntos fazendo coisas que gostem, menos tempo terão para discussões chatas e problemáticas. Por isso, joguem videogame juntos, andem de bicicleta no parque, pintem uma parede, arrumem o armário, dancem na sala empurrando a mesa de centro para o canto, vejam filmes, saiam com amigos, leiam livros diferentes e depois comentem, façam muito sexo, dêem muita risada juntos!

(Visitado 1.628 vezes, 1 visitas hoje)