Curta e compartilhe!

Olá.

Eu conheci um cara por internet no fim de 2007, e desde lá até meio de 2009 foi o tempo suficiente pra ele se tornar o meu melhor amigo. Nada de bate-papo e sites de relacionamento, não curto essas coisas. É que nós tínhamos amigos em comum, então fomos apresentados.

Mesmo antes de conhecê-lo eu era apaixonada por uma outra pessoa. Jurava amor eterno e tudo mais, pensava que não haveria fim.

Mas em um certo momento, a partir desse meio de 2009 me via contando os segundos pra falar com esse meu amigo, e era inexplicável. Até que percebi que estava apaixonada por ele, não mais por quem antes eu jurava amor eterno. Eu ia pra faculdade e não havia concentração, o meu único pensamento… era aquilo que eu carregava dentro do meu coração. Era como mesmo sem se conhecer de perto, de corpo, de olhar… a pessoa fosse “sua” a muito tempo, a muitas vidas, e para sempre. Incrível, não? Não houve traição alguma, nunca tive nenhum compromisso com a primeira pessoa, pois ele não gostava de mim.

Mas esse “amigo” de internet, que era de Porto Alegre (eu sou de São Paulo), tinha namorada. E tudo bem, estava ótimo pra mim. Sabia que não poderia haver nada entre nós, mesmo. Porém, no fim de 2009, quando o sentimento havia disparado imensamente dentro de mim, ele me avisa que terminou com a namorada. E veio aquela “coisa” por dentro… e, claro, como toda pessoa apaixonada, desconfiei que ele tivesse feito porque sentia o mesmo por mim. Pois ele vinha próximo demais, assim como eu ia, era inevitável pensar que o sentimento era recíproco.

Mas ficou tudo igual. Nesse ano de 2010, em fevereiro, ele se afastou um pouco. Não entendi porque, fui tirar satisfações, mas não adiantou. Então paramos de nos falar durante o mês e nesse tempo eu ia atrás, e até telefonava… mas não adiantava. Pensei que havia acabado, só ainda não sabia o motivo. No início de março, ele me procurou e me contou. O que havia era que ele estava doidamente apaixonado por mim, também. E acreditava que não tinha chance alguma, até pela distância. E porque eu gostava de outro cara (o que não era mais verdade à meses!!!). Descobri que, sim, ele havia acabado com a namorada por minha causa mesmo! E então me senti obrigada a contar a verdade à ele, óbvio. Depois desse dia de declarações tudo mudou. Ele me pediu em namoro e eu aceitei… não poderia continuar traindo o meu coração. Somos as pessoas mais felizes desde então, comecei a render mais nos estudos, arrumei um emprego, etc. Tudo pra esperar ele, pois havia me dito que viria morar aqui no fim desse ano, entre novembro e dezembro. Ótimo! Não havia felicidade maior.

Mas… como na vida nem tudo é permanente… e, eu, amando pela segunda vez, acreditando que dessa vez SIM eu poderia jurar amor eterno, o mundo desaba mais uma vez. Tudo continua bem entre nós, mas o problema sou eu. Toda aquela felicidade que encontrava com ele, sumiu (!!!!??) E todo o amor que sentia, desapareceu (!!!???) Assim, como num passe de mágicas (!???) Loucura! Como assim? Loucura!! Não é possível…

Mas sim, está acontecendo. Não o vejo mais como namorado e de uma hora pra outra, sem motivo algum. Está disposto a abrir mão de tudo por mim em um pouco mais de um mês e meu coração começa a se partir em pedacinhos… me sinto cruel!! E todo aquele amor que eu jurei, como vou cumprir? Dizem que o que importa é a nossa felicidade, mas… e a dele? Vou destruir o coração dele, assim como o meu já está? Não sei o que fazer… a verdade eu já descobri, não o quero mais como namorado… e não consigo aceitar isso, e nem mesmo consigo contar a ele. Tenho pouquíssimos dias pra resolver isso… e está insuportável o sentimento de crueldade dentro de mim.

Será que existe alguém que possa me dar um conselho qualquer?… Nessas horas, aceito tudo. Estou podre por dentro! Acabada… Preciso de um apoio. Já sei que a minha felicidade não é ao lado dele, mas a dele… ele acredita que seja ao meu lado, assim como eu achava antes também. É isso que me machuca intensamente. Necessito que uma ajuda.

Obrigada.

(Visitado 114 vezes, 1 visitas hoje)